Galeria Artista Sami Mattar segue com revezamento de quadros

Desfile permanente de obras de arte

Sucesso de público e com elogios às obras, a Galeria SOARTE Artista Sami Mattar, localizada dentro da Prefeitura, num revezamento realizado pelo curador Francesco Cittadino Jr.

Teresópolis, 1º de março de 2018 – Inaugurada em 15 de julho de 2016, a “Galeria SOARTE Artista Sami Mattar”, que funciona no segundo andar da Prefeitura de Teresópolis, continua com sua exposição permanente de quadros dos membros da Sociedade dos Artistas de Teresópolis e convidados, selecionados com critério de qualidade pelo curador e também pintor Francesco Cittadino Jr. “Criamos a galeria no espaço onde já houve uma, desativada em outra administração. O nome é uma homenagem a um dos grandes artistas da cidade e do país, fundador da SOARTE há 35 anos, que foi Sami Mattar”, explica o secretário de Cultura, Márcio de Paula, que também é artista plástico, além de publicitário.

Na exposição permanente atual, as seguintes obras: “Mulher de Pedra”, “Travessa da Arieira” e “Flores Amarelas”, de Helena Amaral (presidente da SOARTE); “A Árvore e o Lago” e “Lago Comary”, de Vânia Azamor; “Praça do Alto da Boa Vista” (1 e 2), de Cittadino Jr.; “O Analista”, de Sami Mattar; “Dedo de Deus”, de J. Araujo; “Amanhecer”, de Eliane Barbosa; “Sereia”, de Vanize Claussen; “Primavera”, de Silvana Braga; “Maria Fumaça — Trem” e “Natureza Morta”, de Marilene Balzi; “Primavera” e “Bailarina”, de Hebe Cogliatti; “Frades”, de Hermelinda (Lili); “Praia do Forte” e “O Barco”, de Isaura Celem; “Rosas Aveludadas”, de Marilda Pereira; “Hibiscos”, de Eliane Laranjeira; “Caminho de Teresópolis”, de Carminha; e “Mulher de Pedra”, de Thereza Paiva.

Com os quadros em exibição, o segundo piso do Palácio Theresa Cristina — a histórica sede da Prefeitura de Teresópolis — ganhou em cores e formas, trazendo mais beleza ainda ao ambiente. “Isso aqui ficou muito bonito!”, comentou um cidadão que vinha pagar o seu IPTU no térreo e resolveu subir para olhar alguns quadros no segundo piso.

Um libanês com alma brasileira e teresopolitana

Artista por mais de 60 anos, Sami Mattar nasceu em Mejdlaia, no Líbano, em 1930. Chegou ao Brasil com a família em 1936. Autodidata, realizou sua primeira mostra individual em 1954, na Galeria Minarte, em Belo Horizonte (MG). Também desenhista, programador visual e publicitário, foi colaborador das revistas Tico-Tico e O Malho, além de produzir capas para as revistas Veja (1972), Manchete e Shell em Revista (1980), entre outras. Radicado em Teresópolis, onde viveu por mais de 30 anos até morrer, aqui realizou três exposições individuais e participou de uma coletiva, além de inúmeras exposições (fazia duas por ano, segundo sua viúva, Sílvia) em outras cidades do Brasil e exterior. Mattar sonhou, idealizou e fundou a SOARTE.

Texto: Ney Reis / Sec Cultura

Fotos: Jorge Maravilha

Fonte: Assessoria de Comunicação de Teresópolis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *