Mesa redonda sobre construção da cidadania feminina encerra campanha ‘16 Dias de Ativismo’ em Teresópolis

foto-jeferson-hermida-8Mesa redonda sobre construção da cidadania feminina encerra campanha ‘16 Dias de Ativismo’

Teresópolis, 11 de dezembro de 2014 – Com o tema ‘Construindo a Cidadania Feminina – Direitos Humanos: Expressões da Violência de Gênero’, aconteceu nesta quarta-feira, 10, no auditório da Secretaria de Educação, uma mesa redonda. O evento encerrou a campanha ‘16 Dias de Ativismo – Pelo Fim da Violência Contra a Mulher’ em Teresópolis. As atividades foram promovidas pela Prefeitura, por meio da Secretaria dos Direitos da Mulher, em parceria com outras secretarias municipais. 

A secretária de Desenvolvimento Social, Graça Granito, representou a secretária dos Direitos da Mulher, Alessandra Rosa, no evento, que contou com palestras sobre o assunto. ‘Um olhar diferenciado no atendimento a Mulher Vítima de Violência’ foi o tema da delegada da 110ª DP, Juliana Menescal da Silva Ziehe. “Devemos ressaltar que as mulheres que sofram algum tipo de abuso podem procurar ajuda na Delegacia. Lá elas serão atendidas com prioridade e por policiais especializados. Há medidas que protegem essas mulheres”, explicou a delegada.

A advogada da OAB Teresópolis Helena Nader falou sobre ‘Garantia de Direitos e Lei Maria da Penha’. “A Lei Maria da Penha mudou o contexto da violência contra a mulher no país. Antes a mulher precisava chegar machucada, marcada na pele, para ser caracterizada a agressão. Com a lei, a agressão psicológica, moral, financeira, também passou a considerada. Esse é um importante avanço”.

Os preconceitos sofridos pela mulher no mercado de trabalho foram abordados pela advogada, presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB Teresópolis e professora dos cursos de Administração e de Ciências Contábeis do Unifeso – Centro Universitário Serra dos Órgãos, Vivecananda Dutra de Souza Firme.

“A mulher sofre preconceito no mercado de trabalho tanto na questão salarial quanto na ascensão profissional. Ainda que ocupe o mesmo cargo, recebe menos do que o homem. Além disso, na hora de decidir quem vai ser promovido para exercer um cargo mais elevado, na maioria dos casos o homem é escolhido”, mencionou a advogada.

Pelo Fim da Violência Contra a Mulher

A campanha ‘16 Dias de Ativismo – Pelo Fim da Violência Contra a Mulher’ – foi lançada em 1991 pelo Center for Women’s Global Leadership – CWGL (Centro de Liderança Global de Mulheres), exigindo a eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres. É desenvolvida anualmente entre 25 de novembro e 10 de dezembro, com milhares de organizações participando do evento em mais de 150 países.

Em Teresópolis, uma grande ação realizada no último dia 28, dentro da campanha ‘16 Dias de Ativismo’, movimentou o Espaço Mulher, feira de artesanato que funciona na Praça Balthasar da Silveira, na Várzea. Atividades como Dança Sênior, ginástica, corte de cabelo, maquiagem, serviços de saúde e de gestão econômica e rodas de conversa sobre assuntos relacionados ao universo feminino fizeram parte da programação. O evento de conscientização contou com a participação das Secretarias de Esportes, de Cultura e de Saúde, além do Unifeso (cursos de Enfermagem, Fisioterapia e de Administração) e do Instituto Embelleze.

Texto: Mara Lúcia

Fotos: Jeferson Hermida

Fonte:Assessoria de Comunicação de Teresópolis 

  • Advogada Vivecananda Firme ministra os preconceitos sofridos pela mulher no mercado de trabalho
  • ‘Um olhar diferenciado no atendimento a Mulher Vítima de Violência’ foi o tema da delegada da 110ª DP, Juliana Menescal
  •  Público assiste a palestras no encerramento da campanha ’16 Dias de Ativismo’
    Público assiste a palestras no encerramento da campanha ’16 Dias de Ativismo’
  • Advogada Helena Nader ressalta que a Lei Maria da Penha mudou o contexto da violência contra a mulher no país

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *