Moradores da Posse em Teresópolis reclamam do abandono

Teresópolis,12 de janeiro de 2018. A lembrança do dia 12 de janeiro de 2011 é um trauma que diversas áreas da região serrana sofreram e continuam à sofrer pelo descaso e abandono dos órgãos públicos. São 7 anos de espera! O Brasil precisa aprender muito com outros países,que tiveram tragédias piores, se ergueram menos de um ano.

Se não bastassem passar por um dos maiores desastres naturais, ocorridos na região serrana do Rio,moradores reclamam de obras inacabadas no Rio , demolição de imóveis em ruínas, avaliações de imóveis, recebimento dentre outros fatores designados ao INEA . Eles gostariam de saber do real emprego das verbas.

O presidente da Associação de Moradores da Posse, em Teresópolis, Benedito Gustavo Lopes, reclama da falta de respeito do órgão com os moradores. Ele relata que diversos moradores procuram ele desesperados. A Defesa Civíl vem na minha casa dizendo que tenho que sair , área de risco,porém , eles só saem se receber a devida indenização. Fala ainda que alguns; aguardam a indenização do imóvel há vários anos, cita o caso de seu José; que reside próximo ao Rio e que até a presente data não recebeu nada. Ele fala do valor acordado já perdeu seu valor de compra. Várias pessoas ficaram doentes por aguardar tantos anos. A única coisa que aliviou um pouco foi a entrega dos imóveis na Ermitage , no ano de 2017. Já era têm tempo! Agora nesse período de chuvas ficamos muito preocupados pois o abandono é visível e diversas pontes não suportarão um volume intenso.

Segundo, Benedito Lopes, desde a tragédia de 2011, Graças a Deus não houve uma chuva intensa que durasse mais de hora! A reportagem do Terê Total, traz fotos da área do rio Príncipe que não foi executada pela empresa contratada pelo INEA. Fotos de fevereiro de 2017.  Colocaram pedras sobre areia que não trazem segurança alguma.

Benedito cita ainda que levou, há aproximadamente um ano e meio, um relatório, com esses problemas ao Ministério Público. Ele relata que somente alguns trechos visíveis foram consertados e outros aguardam a empresa até a presente data. Inclusive me pediram colocar o problema dos redimensionamentos dos bueiros por um engenheiro técnico. Ele pontuou os problemas ao INEA e nós aguardamos a execução até hoje.

Quero um bairro seguro para mim,família e filhos. Acho um descaso prometerem que vão terminar a obra e nada! Cadê o Parque Fluvial, a repressa seca de amortecimento, bueiros , pontes seguras. A população está desacreditada e temem nova tragédia pela incompetência das autoridades que foram notificadas e nada! 

Fotos: Louis Capelle