3ª Mostra Sesc de Cinema 2019 Teresópolis – TERE

FILMES E VÍDEOS
3a MOSTRA SESC DE CINEMA 2019

16 a 29/11 | 16h e 18h | GRÁTIS

A Mostra Sesc de Cinema tem como objetivo promover e renovar o circuito cinematográfico nacional, além de facilitar o acesso do público a filmes produzidos no país, contribuindo para a promoção e o lançamento de artistas.


16 /11 | 16h | Livre

Vivi Lobo e o Quadro Mágico (PR) – Muito prazer! Meu nome é Vivi Lobo. Essa história é sobre as portas que devemos abrir ao longo da vida, enquanto humanos, enquanto meninas. Direção de Isabelle Santos e Edu MZ Camargo;

Icamiabas (PA) – Um explorador comercial foi até a feira do Veropa para pilhar bem no dia em que as Icamiabas tinham ido fazer a feira para Tupam. Derrotado, ele decide se vingar. Direção de Otoniel Oliveira;

Hornzz (RJ) – Como cada escolha reflete em nossas vidas? Através da narrativa surrealista de Hornzz, acompanhamos as escolhas e desafios da menina Lu, viajando por experiências únicas em cenários lúdicos. Direção de Lena Franzz;

Nako (RJ) – Um ser de outro planeta surge na terra com um objetivo: mudar o olhar das pessoas do que está a sua volta. Direção de Matheus Seabra;

Lily’s Hair (GO) – Lily é uma garota negra que não gosta de seus cabelos. Com a ajuda de Caio, seu amigo cadeirante, tenta ter os cabelos do jeito que sempre sonhou. Direção de Raphael Gustavo da Silva. Duração: 54 minutos.


20/11 | 9h | 12 anos

Da Curva pra Cá (ES) – Dizem que, quando você está sonhando, a única forma de descobrir se é um sonho é acender a luz. Direção de João Oliveira;

Jéssika (RJ) – Jéssika é uma travesti. Anos depois de deixar o interior do Nordeste, retorna para sua cidade natal. Nessa viagem, reencontra sua história e a si mesma. ​Direção de Galba Gogóia;

Do outro lado (SP) – Às vésperas de uma importante decisão, a juíza da Corte Suprema de Taiwan recebe uma carta inesperada. Direção de Bob Yang e Frederico Evaristo;

Plano controle (MG) – O ano é 2016. Um golpe da direita derruba a primeira mulher eleita presidenta no Brasil. Nesse contexto político distópico, Marcela usa o serviço de teletransporte de seu celular para deixar o país, mas seu plano é controle. Direção de Juliana Antunes. Duração: 68 minutos.


20/11 | 16h | 12 anos

O Céu dos Índios (AM) – Dessâna e Tuiuca tentam desvendar a astronomia indígena produzida por estas etnias amazônicas que acreditam no conhecimento do céu como saber complementar às suas vidas na terra. Direção de Flávia Abtibol e Chicco Moreira;

Vozes da memória (RO) – O filme evidencia a identidade cultural da cidade de Porto Velho, Rondônia, retratando o rio, personagens e costumes. Direção de Raíssa Dourado;

Francisco (AC) – Francisco tenta viver a sua vida longe de tudo o que lhe faz lembrar da morte de seu pai, vítima de um crime de ódio. Mas ao encontrar seus documentos antigos em arquivos velhos em casa, passa a entender o seu papel como homem negro e a importância da luta contra o racismo no Brasil. Direção de Francisco Teddy Falcão;

Chamando os ventos (PA) – Documentário sobre a ação imaginante de chamar os ventos por meio de assobios. Direção de Marcelo Rodrigues. Duração: 93 minutos.


21/11 | 16h | 12 anos

Abrindo as Janelas do Tempo (SC) – Aprisionada em si mesma, a personagem central luta para encontrar-se e viver no presente. Suas confusões temporais envolvem o espectador fazendo-o experimentar de perto essas vivências. Direção de Santiago José Asef;

Almofada de penas (SC) – Logo após sua lua de mel, Alicia contrai uma doença inexplicável, enquanto seu marido Jordão presencia tudo de modo indiferente. Direção de Joseph Specker Nys. Duração: 75 minutos.


21/11 | 18h | Livre

Orin: Música para os Orixás (BA) – Os cantos e ritmos tocados nos terreiros de candomblé tiveram grande influência na construção rítmica de diferentes gêneros da música popular brasileira como o samba. Direção de Henrique Duarte. Duração: 92 minutos.


22/11 | 16h | 16 anos

No Rio das Borboletas (AM) – Quatro mullheres, um rio, uma jornada em busca de ajuda no grande Rio Amazonas. Direção de Zeudi Souza;

A Besta Pop (PA) – Em um futuro distópico durante o último dia que antecede o apocalipse, em meio a implementação de um governo totalitarista, fanatismo religioso e a alienação da sociedade, um grupo de jovens decide burlar o toque de recolher como forma de escapismo do tédio de suas vidas. Eles têm seus caminhos entrelaçados no melhor lugar para estar no fim do mundo, na festa A Besta Pop. Direção de Artur Tadaiesky, Fillipe Rodrigues e Rafael B Silva. Duração: 102 minutos.


22/11 | 18h | 14 anos

Copacabana Madureira (RJ) – Eleições presidenciais. Notícias falsas. Prazeres e dores pelos bairros da cidade. Direção de Leonardo Martinelli;

Bloqueio (RJ) – Maio de 2018. A 5 meses da eleição presidencial brasileira, o país está mergulhado em uma crise política e econômica. Nesta atmosfera de tensão social, caminhoneiros decidem fazer uma paralisação em busca de melhores condições de trabalho.  Direção de Victória Álvares e Quentin Delaroche. Duração: 94 minutos.


23/11 | 16h | Livre

Clandestino (SE) – Tereza é uma garota comum, com uma imaginação nada comum. No caminho para encontrar sua mãe e entregar uma encomenda muito preciosa, sua imaginação corre livre pelas paisagens do interior, enquanto ela vai viver aventuras ao lado de sua avó. Direção de Baruch Blumberg;

A Câmera de João (GO) – Um ano após o impeachment presidencial, Brasília recebe a maior mobilização indígena durante a 14ª edição do Acampamento Terra Livre, no final de abril. Enquanto isso, na mesma Esplanada dos Ministérios que abriga barracas de povos indígenas de todo o Brasil, parlamentares articulam uma agenda de retrocessos à causa indígena. Os parentes não deixarão de lutar. Direção de Tiago de Aragão;

O Malabarista (GO) Documentário em animação sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades. Direção de Iuri Moreno. Duração: 57 minutos.


27/11 | 16h | 16 anos

BR3 (RJ) – Kastelany chega na casa da Luciana. Mia se prepara para sair à noite com suas amigas. Dandara transa com Johi pela primeira vez. Direção de Bruno Ribeiro;

Afeto (RJ) – Em meio à uma das maiores crises políticas e representativas brasileiras, Afeto é um curta-metragem experimental sobre arquitetura, memória e ocupação feminina do espaço urbano. Direção de Gabriela Gaia Meirelles e Tainá Medina. Debate com Tainá Ribeiro Medina;

Cemitério Parque (RJ) – Em 1965, o Governador do Estado da Guanabara Carlos Lacerda, em solenidade no Parque Lage, decreta o seu tombamento. Roberto Marinho, presidente das Organizações Globo, um dos proprietários do terreno, é contrariado no seu interesse de transformá-lo em um cemitério, segundo denúncia do político. Direção de José Carlos Faria;

Vigia (RJ) – Num grande supermercado, Magno vigia meninos de mochila nos corredores, enquanto a madrugada se arrasta lentamente para Bismarck, o caixa. Direção de João Victor Borges. Duração: 96 minutos.


27/11 | 18h | 12 anos

Quilombo Mata Cavalo (MT) – No Quilombo Mata Cavalo, quilombolas distribuídos em seis comunidades resistem para preservar seus traços culturais, manter a integração comunitária e conquistar a regularização das terras herdadas de seus ancestrais. Direção de Jurandir Amaral;

Parque Oeste (GO) – Depois de ser vítima de violência do Estado, em Goiânia, uma mulher reconstrói sua vida, transformando seu luto em luta para que todas as mulher e homens possam viver em um mundo mais justo, em que os direitos humanos básicos, como o acesso à moradia, possam ser assegurados. Direção de Fabiana Assis. Duração: 85 minutos.


28/11 | 16h | 14 anos

Ilha (BA) – Emerson, um jovem da periferia, quer fazer um filme sobre a sua história na Ilha, lugar onde quem nasce nunca consegue sair. Direção de Ary Rosa e Glenda Nicácio. Duração: 92 minutos.


28/11 | 18h | 12 anos

Fabiana (SP) – Fabiana, mulher trans, viveu como uma nômade caminhoneira por todo o Brasil durante mais de trinta anos. Porém, a aposentadoria se aproxima e ela deverá deixar para trás suas aventuras na estrada. Direção de Brunna Laboissière. Duração: 89 minutos.


29/11 | 16h | 14 anos

Poética de barro (MG) – Bucólico, delicado e sensível, o curta-metragem Poética de Barro, animado em stop motion com argilas do Vale das Viúvas de Maridos Vivos e baseado nos trabalhos das ceramistas mineiras, retrata a saga de uma pequena criatura, que precisa sobreviver às vicissitudes da vida. Se todas as barreiras serão transpostas, apenas assistindo para descobrir. Direção de Giuliana Danza;

Cravo, Lírio e Rosa (RJ) – Cê, uma menina de oito anos, tropeça no cadáver de uma adolescente. A aparição do corpo muda drasticamente a vida de Cê e de sua irmã mais velha, Sara. Direção de Maju de Paiva,

Parda (RJ) – Um regime autoritário planeja restaurar a supremacia branca no Brasil. Sua primeira medida é exigir a volta ao país de todos os brasileiros brancos vivendo no exterior. Em meio ao caos político, Tai precisa provar que não é branca, mas se depara com a própria incerteza sobre sua identidade racial. Direção de Tai Linhares. Duração: 56 minutos.


29/11 | 18h | 12 anos

Tipoia (AL) – Obra inacabada. Antes que seja tarde. Direção de Paulo Silver;

Aqueles Dois (CE) – Caio José tem 25 anos e é enfermeiro, Kaio Lemos tem 38 e é pesquisador acadêmico. Eles têm boa formação intelectual, amigos, família e em nada se diferenciariam dos tantos rapazes que vivem realidades similares não fosse pelo fato de serem homens transgêneros. Direção de Émerson Maranhão;

Aurora (SE) – Renata é uma mulher de classe média, casada e mãe de dois filhos, que vive em uma grande cidade brasileira. Entre o crepúsculo e o amanhecer de um dia qualquer, ela enfrenta questões de gênero típicas da atualidade. Direção de Leo Ayres;

Rasga mortalha (PE) – Baseado na lenda da “Rasga Mortalha”, o filme conta a história de Seu Arlindo, um senhor que vive no interior da Paraíba e que passa a ouvir os rumores da vizinhança e os barulhos da coruja agourenta. Direção de Pattrícia de Aquino. Duração: 65 minutos.

Fonte: Sesc Teresópolis