Artesãos fluminenses recebem Carteira Nacional do Trabalhador

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro, 7 de abril de 2017

Núcleo de Imprensa

Artesãos fluminenses recebem Carteira Nacional do Trabalhador

Documento de identificação já beneficiará profissionais de Angra dos Reis

O Rio de Janeiro será um dos primeiros estados a entregar a Carteira Nacional de Artesão/Trabalhador Manual. Hoje, artesãos de Angra dos Reis receberão o documento de identificação do Governo Federal.

Com o atual cenário econômico, o artesanato surge como opção de renda. De acordo com o IBGE, atualmente, mais de 8,5 milhões de brasileiros têm a atividade como renda familiar em 78,6% dos municípios do país. A Secretaria de Turismo/TurisRio, através do Programa de Artesanato do Estado do Rio de Janeiro, vem trabalhando em ações que concretizem a ocupação como profissão.

Para Nilo Sergio Felix, secretário de Turismo, o artesanato é um produto de grande importância dentro do setor turístico. Além de poderoso gerador de recursos e desenvolvimento regional, conquista agora o seu reconhecimento como profissão através da carteira emitida por meio do Programa de Artesanato Brasileiro (PAB).

– O artesanato faz parte da cultura milenar dos povos. O Rio de Janeiro é extremamente forte nesse segmento. O artesão fluminense será, a partir de agora, considerado, formalmente um profissional do setor. Nosso trabalho é em prol da classe, sempre buscando impulsioná-la, promovendo o empreendedorismo – destacou o secretário.

O documento, que não requer anuidades nem taxa de adesão, é emitido após o registro no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab). Com isso, o artesão além de ter uma identidade profissional, poderá participar de feiras nacionais e internacionais, oficinas e cursos.

Mais de 7,9 mil profissionais no Rio

Após iniciar em 2015 um mapeamento no estado com o objetivo de reconhecer o artesanato como atividade econômica, com foco em ações voltadas para a geração de emprego e renda, o programa estadual cadastrou 7.930 artesãos, passando por 26 municípios fluminenses.

Fonte:Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro