Exposição itinerante ‘A Mata Atlântica é aqui!’ chega a Teresópolis

sos-mata-atlantica-34Exposição itinerante ‘A Mata Atlântica é aqui!’ chega a Teresópolis

Jogos, oficinas, cinema e bate-papo com Marcos Palmeira estão na programação

Teresópolis, 14 de janeiro de 2010 – A exposição itinerante ‘A Mata Atlântica é aqui!’ chegou a Teresópolis nesta quarta-feira, 13. A abertura aconteceu na Praça Olímpica, no Centro, e contou com as presenças do Secretário de Meio Ambiente e Defesa Civil, Flavio Luiz de Castro, do Subsecretário Maurício Lopes, do Vereador Cláudio Mello, do Ouvidor Municipal Ricardo Raposo e de conselheiros do Comdema (Conselho Municipal de Meio Ambiente). Alunos do curso de Biologia da Unifeso e consultoras da Natura (patrocinadora do projeto) também compareceram. O caminhão da SOS Mata Atlântica fica na cidade até domingo, 17, com atividades gratuitas e abertas ao público. Entre os dias 14 e 17, a exposição funcionará das 10h às 17h. A vinda do projeto é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e conta com a parceria da Prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente e Defesa Civil.

Mesmo em férias, alunos do curso de Biologia da Unifeso fizeram questão de visitar a exposição. “A vinda desse projeto para Teresópolis vai ajudar a conscientizar as pessoas sobre a preservação da natureza”, disse Luciana Maia, estudante do 3º período. Para Wallace Ferreira, também do 3º período, a exposição traz informações sobre o trabalho de conservação feito por empresas e ongs (Organizações não-governamentais). “É um projeto relevante que nos mostra o que tem sido feito pela preservação do meio ambiente. Além disso, temos a oportunidade de conhecer mais detalhadamente as RPPNs (Reservas Particulares do Patrimônio Natural), que podem ser um local de pesquisas para nós, alunos”.

A Natura, um dos patrocinadores, montou um stand para explicar sobre a fabricação de produtos que prezam pela sustentabilidade e distribuiu mudas de espécies nativas. “A Natura tem um compromisso com a sustentabilidade, não só na fábrica, mas também divulgando a preservação da natureza em eventos como esse”, comentou a gerente de relacionamento na Região, Sônia Machado, acompanhada de consultoras da empresa. Dona Cleuza Pinheiro fez questão de entrar na fila para ganhar uma muda de cedro rosa. “Esta iniciativa é excelente. O desmatamento é grande, basta observarmos as catástrofes que vem acontecendo em todo o mundo. Precisamos da natureza para sobreviver e temos que dar a devida importância a isso. Vou plantar este cedro e cuidar muito bem dele”, disse a aposentada. Jorge Studer, conselheiro do Comdema, também aprovou a vinda do projeto. “Toda ação que fale sobre a preservação do meio ambiente é muito bem vinda. As pessoas precisam voltar a ter um contato mais próximo com a natureza para valorizá-la cada vez mais”, avaliou.sos-mata-atlantica-60 sos-mata-atlantica-53

Dados alarmantes: 93% da Mata Atlântica destruída

Na abertura, os monitores do projeto enfatizaram a beleza e a diversidade de flora e fauna existentes na Mata Atlântica, mas também ressaltaram que 93% da floresta já foi destruída. “Entre os anos de 1985 e 1995 mais de um milhão de hectares da Mata Atlântica foram destruídos, com perdas de flora e fauna nativas. Atualmente cerca de três mil municípios se abastecem da água produzida por esta mata, ou seja, é fundamental para nossa sobrevivência a sua conservação. Jogar o lixo na lixeira e economizar água já são grandes ações que contribuem para essa preservação”, explicou Lemuel Santos. Os monitores passaram um vídeo sobre o tema e fizeram uma demonstração com uma maquete dinâmica sobre o ciclo da água e a importância da mata para a absorção da água das chuvas para manutenção dos lençóis freáticos, rios e para evitar inundações nas cidades. Na ocasião, a equipe do SOS Mata Atlântica realizou a coleta de água do Rio Paquequer usando um kit de monitoramento, que faz a análise englobando 14 parâmetros físico-químicos, como transparência da água, odor e oxigênio dissolvido. Na próxima semana será divulgado o resultado da análise.

O Secretário de Meio Ambiente e Defesa Civil, Flavio Luiz de Castro, ressaltou a importância da vinda da exposição itinerante para Teresópolis. “A nossa expectativa é que as pessoas visitem o caminhão da Fundação SOS Mata Atlântica e conheçam o projeto desta ong que é umas das maiores e mais atuantes do país. A vinda do caminhão itinerante para nossa cidade é mais uma ação do Governo Jorge Mario e da Secretaria de Meio Ambiente e Defesa Civil em prol da conscientização da preservação da Mata Atlântica e da natureza como um todo. Espero que as pessoas prestigiem e divulguem este trabalho”, salientou Flavio Luiz de Castro.

Quartas Ambientais 2010

Também na quarta-feira, 13, Marcia Hirota abriu a temporada 2010 do projeto Quartas Ambientais, da Secretaria de Meio Ambiente e Defesa Civil. O tema da palestra da diretora de Gestão do Conhecimento da Fundação foi ‘A Mata Atlântica do Rio de Janeiro’. “É um prazer estar em Teresópolis, os moradores daqui são privilegiados porque vivem numa área importante da Mata Atlântica e belíssima”, comentou Márcia Hirota. Na palestra, a diretora falou sobre os números levantados em monitoramentos realizados em parcerias com outras instituições, como o Instituto Chico Mendes, antigo Ibama. Márcia Hirota destacou ainda que os desmatamentos, queimadas, ocupações desordenadas continuam agredindo a pequena área que restou de Mata Atlântica. “De acordo com o nosso monitoramento, a destruição na Mata Atlântica no Rio de Janeiro quase triplicou no período entre 2005 e 2008, ocorrendo uma drástica redução da floresta no Estado. Focos de desmatamento, queimadas, ocupação desordenada em áreas de preservação, tudo isso contribuiu para esses números tão alarmantes”, observou a pesquisadora, complementando que o poder público e a população precisam se unir para mudar este quadro.

O projeto ‘A Mata Atlântica é aqui! – Exposição itinerante do cidadão atuante’ conta com um caminhão adaptado para atividades de educação ambiental como CineMata: sessões de vídeo/cinema com temas socioambientais; tendas com atividades lúdicas para sensibilização de crianças com foco na Mata Atlântica; oficinas de plantio; monitoramento da qualidade da água do Rio Paquequer; jogos; palestras; debates; túnel dos sentidos, roda das sensações e apresentações artísticas. Haverá também sorteio de brindes. Todas as atividades acontecerão na Praça Olímpica.quartas-ambientais-me-7

Programação

15 de janeiro (sexta)

  • Das 10h às 16h
  • 14h – Debate – Turismo e Montanhismo

16 de janeiro (sábado)

  • Das 10h às 16h
  • 11h – Cinemata: Exibição de vídeos com temas Socioambientais.
  • 14h – Bate-papo ambiental com o ator Marcos Palmeira e seu sócio, o engenheiro agrônomo Aly Ndiaye. Tema: PAIS (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável) em integração com o projeto da Fazenda Vale das Palmeiras

17 de janeiro (domingo)

  • Das 10h às 16h
  • 15h – Apresentação do programa de coleta seletiva, do Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis e Plantio Simbólico na Praça Olímpica em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.
  • 16h – Encerramentos das atividades.
  • As atividades túnel dos sentidos, roda das sensações, jogos da cidadania e da memória, maquete dinâmica ambiental acontecem nos intervalos dos debates e palestras.

Fotos – Créditos para Marco Esteves

Fonte- Assessoria de Comunicação de Teresópolis