Teatro em Teresópolis – O Último Lutador – Ringue da Vida

2017-04-19 O Último LutadorTEATRO: O Último Lutador – Ringue da Vida

Espetáculo original e inédito, que discute as divergências das relações familiares em um clã de lutadores. Com autoria de Marcos Nauer, que também atua no espetáculo, e Teresa Frota, e direção de Sérgio Módena, a peça conta a história de Caleb (Rogério Freitas), patriarca de um clã desgarrado de lutadores, que diagnosticado com câncer, sonha em reunir novamente a família. Decide então realizar uma luta usando como pretexto um campeonato que vale um milhão em dinheiro. Para tal, precisa trazer de volta o neto perdido (Nauer) e reaproximá-lo do pai ex-alcoólatra (Antonio Gonzalez), que por sua vez é brigado com seu outro filho (Daniel Villas) e com seu próprio irmão (Gláucio Gomes). Caleb é passional e visionário, o homem que “faz tudo errado, mas dá tudo certo”, como diz sua companheira Diná (Stella Freitas). Também integram o elenco as atrizes Thais Belchior e Carol Ana Velloso.

Encontros, desencontros e os conflitos que estes implicam regem a história que mostra que por trás desses guerreiros, gladiadores modernos, existe um lado humano e familiar. Uma metáfora às lutas enfrentadas no dia-a-dia.

“A luta diária pela aceitação, pelo perdão, pela superação dos limites e pelo amor pode ser facilmente identificada pelo espectador. A família, com todas as suas contradições, é a grande protagonista nesse ringue que chamamos vida”, afirma o diretor Sérgio Módena. “A proposta da encenação é fazer com que o espaço cênico nos remeta a um grande galinheiro (cenário das cruéis rinhas de galo), onde os inúmeros embates familiares acontecem continuamente, evidenciando assim a violência e aridez que muitas vezes regem as relações humanas”, completa Módena.

O ator Marcos Nauer afirma ter tido a ideia de escrever O Último Lutador ao ouvir a música Um Homem também Chora (Gonzaguinha). Dois profissionais da luta fizeram parte da construção da encenação. Milton Vieira, instrutor de jiu-jítsu e boxe, foi responsável pela preparação do elenco e dirigiu as cenas de luta. Já Paulo Pereira, único representante no Brasil do método de jeet kune do (de Bruce Lee), desenvolveu um trabalho mais específico com Nauer. E completando o trabalho corporal, Edio Nunes coreografou a cena do tango.

Fonte: Assessoria de Comunicação de Teresópolis 

**Haverá distribuição de senha uma hora antes das sessões