UNIFESO realiza jornadas de história da Medicina e da Biologia

jornada-historia-medicina-biologia-2UNIFESO realiza jornadas de história da Medicina e da Biologia

Reunindo a VI Jornada da História da Medicina e a II Jornada da História da Biologia entre 26 e 28 de outubro, o evento promovido pelos cursos de Medicina e Ciências Biológicas do Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO) apresentou diversos trabalhos desenvolvidos pelos estudantes. “O principal compromisso das nossas jornadas é apresentar à comunidade acadêmica o que nossos estudantes têm produzido relacionado à Medicina, Biologia e História”, disse o professor Daniel Pinheiro Hernandez, do curso de Medicina, coordenador do Grupo de História da Medicina (GHM) e do Programa de Literatura, Artes, Memória e Cinema (PLAMC).

O professor Carlos Alfredo Cardoso, coordenador do curso de Ciências Biológicas, presidiu a cerimônia de abertura do evento, que teve entre os convidados os professores Antônio Moreira, do curso de Medicina e Ana Lúcia Ribeiro, coordenadora do Grupo da História da Biologia. “Acreditamos que a ciência tem uma história que não pode ser perdida”, comentou a professora Ana Lúcia.

A abertura da Jornada contou com palestras dos professores Marco Antônio Mibielli, do serviço de Ortopedia do Hospital das Clínicas de Teresópolis Costantino Ottaviano (HCTCO), que falou sobre a História da Ortopedia; e Ricardo Francisco Waizbort, sobre a História da Teoria da Evolução Aplicada à Saúde Humana”.

Rafael Tapajoz, estudante de Ciências Biológicas, avaliou que “o tema de história na área da saúde é muito interessante quando relacionado com o conteúdo passado no curso”. Para Diego Batista Silva, estudante de Medicina e um dos membros fundadores do Grupo de História da Medicina. as reuniões vão ao encontro da missão institucional, que é “promover a educação, a cultura, a ciência, a tecnologia e a inovação, constituindo-se num polo de desenvolvimento regional de modo a contribuir para a construção de uma sociedade justa, solidária e ética”. Para ele, “participar tanto da Jornada como do Grupo tem uma importância que vai além do currículo médico, pois ajuda na formação social do estudante. Hoje os cursos de Medicina formam simplesmente médicos, e não pessoas humanizadas. Além de termos uma grande referência que é o professor Daniel, temos o contato mais humano com a Medicina, que vai nos auxiliar a lidar com nossos futuros pacientes”.

Fonte:Unifeso Jornalismo jornada-historia-medicina-biologia-17