Chuva forte na Posse em 03-01-19 preocupa moradores

Chuva forte na Posse em 03-01-19 preocupa moradores
Chuva forte na Posse em 03-01-19 preocupa moradores

Chuva forte na Posse  preocupa moradores

Teresópolis, 03 de janeiro de 2019. Mais uma vez um forte temporal assusta moradores de Teresópolis RJ. Desta vez, os locais mais atingidos foram Posse (1º distrito) e Sebastiana (interior do município).

Moradores do Campo Grande/ Posse em Teresópolis reclamam do total abandono do bairro, falta de limpeza e manutenção do rio Príncipe além do término das obras do Rio, que estam em colapso. A última empresa contratada pelo INEA apresentou serviços de péssima qualidade, além de que, obras ficaram por acabar ou ter manutenção.

Segundo informações do INEA, obras em colapso serão refeitas e consertadas. A boa notícia é que a empresa para elaboração das barreiras de contenção de cheias, no Campo Grande , já estam na área para os trabalhos de elaboração dos projetos.

Desde a tragédia de 12 de janeiro de 2011, a preocupação dos moradores locais é com a chuva mais intensa. Por volta das 18h30 a chuva foi ficando mais intensa e o morador Hércules , da localidade do Campo Grande, filmou a cabeça d’água caindo na queda abaixo da represa da antiga Belgo Mineira. Ressalto que esta represa ficou abandonada e está assoreada. Até a presente data, a AMAPOSSE ( Associação de Moradores e Amigos da Posse) aguardam um parecer do órgão INEA sobre esta represa. O Instituto Estadual do Ambiente , através de seus engenheiros, ficaram sabendo da existência desta represa e não tomaram nenhum procedimento de limpeza ou manutenção.

Enquanto à população aguarda todas as obras , procedimentos de manutenção do bairro, desfazimento de ruínas, fiscalização da área, represas de amortecimentos de cheias, Parque Fluvial, limpeza e término de toda extensão do Rio Príncipe; a população fica aprrensiva com uma chuva mais forte. Eles não querem mais transtornos na localidade e já são 8 anos de espera, burocracia e traumas incuráveis. Moradores junto à AMAPOSSE cobram junto ao Ministério Público mais agilidade e fiscalização.

Fotos: Louis Capelle

Fonte: Terê Total