Programação do CineSesc do mês de maio 2022 em Teresópolis

Infantil Asterix e o Segredo da Poção MágicaCINEMA/GRÁTIS

 Programação do CineSesc do mês de maio tem como tema “Cores da Diversidade”, trazendo filmes para o público adulto

Para as famílias, seleções reúnem filmes 

infantis e infantojuvenis 

RIO DE JANEIRO – O Sesc RJ retomou em abril o formato presencial do projeto CineSesc, através do qual a instituição promove sessões de cinema gratuitas em suas unidades tendo como foco produções que tiveram pouco destaque no circuito comercial brasileiro. Em maio, o projeto traz a mostra “Cores da Diversidade”, que se estende até o fim do mês.

O tema e a curadoria das obras buscam revelar as múltiplas cores da nossa diversidade. O conjunto de obras apresentado neste recorte sugere caminhos para refletirmos a respeito dos avanços na discussão sobre temáticas e vivências negras, LGBTQIA+ e indígenas no Brasil e no mundo, assim como aponta as dificuldades e as armadilhas que esses corpos ainda precisam enfrentar em seus cotidianos.

Ao todo, são mais de 90 sessões – de curtas e longas-metragens – em 12 unidades do Sesc no estado, quatro delas na capital (Copacabana, Madureira, Ramos e Tijuca). Na Região Metropolitana e no interior, o circuito passa por Niterói, São Gonçalo, Nova Iguaçu, São João de Meriti, Barra Mansa, Campos, Nova Friburgo e Teresópolis.

Os longas em cartaz são Rafiki, Café com Canela e Inferninho. Já os curtas são Ava Kuña, Aty Kuña – Mulher Indígena, Mulher Política; Camylla Bruno; Seremos Ouvidas; Jeroky Gwasu – Grande Canto; Olhe-se; Inabitáveis; Ruby; Konãgxeka: O Dilúvio Maxakali; e Xondaro Ka´Aguy Reguá (Forest Warrior).

Para crianças e adolescentes – Além da mostra “Cores da Diversidade”, dirigida ao público adulto, o CineSesc retoma as exibições de cinema para crianças, adolescentes e toda família. Para os pequenos, serão exibidos

Asterix e o segredo da poção mágica (2018), de Louis Clichy e Alexandre Astier; Miúda e o guarda-chuva, de Amadeu Alban (2019); e Tito e os pássaros (2018), de Gustavo Steinberg, Gabriel Bitar e André Catoto.

Para o público infantojuvenil, os filmes serão os seguintes:  5 Fitas, de

Vilma Carla Martins Silva (2020); Aurora – a rua que queria ser um rio, de Radhi Meron (2021); A inacreditável história do milho gigante, de Aldenor Pimentel (2021); As aventuras de Pety, de Anahí Borges (2020); O menino e o ovo, de Juliana Capilé (2020); Vento Viajante, de Beatriz Lindenberg (2020); Baile, de Cíntia Domit Bittar (2019); e Vida dentro de um melão, de Helena Souza Neves Frade da Cruz (2020).

Confira a agenda para todo o estado do Rio de Janeiro em www.sescrio.org.br.

Filme Café com Canela

SESSÕES DE CINEMA – POR UNIDADE

TERESÓPOLIS

Rafiki: 5/5

Café com Canela: 12/5

Inferninho: 19/5

Sessão de Curtas II: Inabitáveis / Rubi / Konãgxeka: O Dilúvio Maxakali / Xondaro Ka’aguy Reguá (Forest Warrior): 26/5

Horário: 19h30

Infantil:

Asterix e o Segredo da Poção Mágica: 19 e 26/05

Horário: 14h

Miúda e o guarda-chuva: 5 e 12/5

Horário: 14h

SESSÕES DE CINEMA PARA ADULTOS (POR FILME)

RAFIKI

Direção de Wanuri Kahiu. Quênia / África do Sul / Alemanha / Holanda / França / Noruega / Líbano / Reino Unido. 2018. 83 min. Ficção. Legendado. 14 anos.

Criadas para serem boas esposas e mães, Kena e Ziki anseiam por algo mais. Apesar da rivalidade política entre suas famílias, as garotas resistem e continuam sendo amigas próximas, apoiando-se mutuamente para perseguir seus sonhos em uma sociedade conservadora. Quando o amor floresce entre elas, as duas serão forçadas a escolher entre felicidade e segurança.

  • Teresópolis: 5/5 às 19h30
  • Nova Friburgo: 13/5 às 19h

———————————————–

CAFÉ COM CANELA

Direção de Ary Rosa / Glenda Nicácio. BA / Brasil. 2017. 103 min. Ficção. 12 anos.

Recôncavo da Bahia. Margarida vive em São Félix, isolada pela dor da perda do filho. Violeta segue a vida em Cachoeira, entre adversidades do dia a dia e traumas do passado. Quando Violeta reencontra Margarida inicia-se um processo de transformação, marcado por visitas, faxinas e cafés com canela, capazes de despertar novos amigos e antigos amores.

  • Teresópolis: 12/5 às 19h30
  • Nova Friburgo: 13/5 às 15h

———————————————–

INFERNINHO

Direção de Guto Parente / Pedro Diógenes. CE / Brasil. 2018. 82 min. Ficção. 12 anos.

Deusimar é a dona do Inferninho, bar que é um refúgio de sonhos e fantasias. Ela quer deixar tudo para trás e ir embora, para um lugar distante. Jarbas, o marinheiro que acaba de chegar, sonha em ancorar e fincar raízes. O amor que nasce entre os dois vai transformar por completo o cotidiano do bar.

  • Teresópolis: 19/5 às 19h30
  • Nova Friburgo: 20/5 às 19h

———————————————–

SESSÃO DE CURTAS 1

Sessão de curtas 1 – Cores da Diversidade. 76 min. 10 anos.

AVA KUÑA, ATY KUÑA; MULHER INDÍGENA, MULHER POLÍTICA

Direção de Julia Zulian / Fabiane Medina. MS / Brasil. 2021. 25 min. Documentário. Livre.

Uma abordagem poética da resiliência política das mulheres indígenas brasileiras. Retrato da Kuñangue Aty Guasu, a Grande Assembleia de Mulheres Guarani Kaiowá, o curta-documental mescla as impressões, sentimentos e explicações de uma mulher branca e de uma mulher originária acerca desse encontro.

CAMYLLA BRUNO

Direção de Henrique Saunier Michiles. AM / Brasil. 2021. 24 min. Documentário. Livre.

Masculino e Feminino. Dois universos que podem coexistir em uma só pessoa. Camylla Bruno nos leva para dentro desta fusão de mundos ao acompanhar a história do ator transformista amazonense que divide sua vida entre o restaurante que administra e os palcos onde dá vida à Camylla, seu alter ego. Sua relação com a família, sonhos e decepções com os concursos de beleza e questões existenciais da realidade LGBTQIA+ permeiam todo o filme em um documentário poético que traz destaque para uma entre tantas histórias inspiradoras deste universo.

 SEREMOS OUVIDAS

Direção de Larissa Nepomuceno. PR / Brasil. 2020. 13 min. Documentário. Livre.

Como existir em uma estrutura sexista e ouvinte? Gabriela, Celma e Klicia, três mulheres surdas com realidades diferentes, compartilham suas lutas e trajetórias no movimento feminista surdo.

JEROKY GWASU – GRANDE CANTO

Direção de Michele Perito Concianza. MS / Brasil. 2021. 12 min. Documentário. 10 anos.

Filme ritual sobre o Grande Canto Kaiowá realizado nas Aldeias Panambizinho e Panambi em MS.

 OLHE-SE

Direção de Ilana Paterman Brasil. RJ / Brasil. 2020. 2 min. Experimental. Livre.

Animação a aquarela de passos femininos do funk carioca. A artista entrou em contato com o universo de tutoriais caseiros do YouTube que ensinam variações do quadradinho, e que passam a fazer parte das atividades pandêmicas, pela busca de novas expressões e habilidades corporais – assim como o fazer extenuante de uma animação artesanal. Em tempos de isolamento, trabalhar pela internet tornou-se uma adaptação do processo da artista, que até então criava animações a partir de filmagens próprias. Ao olhar para si, a mulher pode sentir sua potência na arte, na dança e na pintura, e compartilhar o que sabe com outras mulheres, conectadas entre si pelo tambor ancestral do funk. Composto por 101 aquarelas em papel A4 Canson c’a Grain 180g.

  • Nova Friburgo: 20/5, 15h.

———————————————–

SESSÃO DE CURTAS 2

Sessão de curtas 2 – Cores da Diversidade. 60 min. 14 anos.

INABITÁVEIS

Direção de Anderson Bardot. ES / Brasil. 2020. 25 min. Ficção. 14 anos.

Uma companhia contemporânea de dança está prestes a estrear Inabitáveis, seu mais novo espetáculo que aborda como tema a homoafetividade negra. Paralelamente aos ensaios, o coreógrafo constrói uma amizade com Pedro, um jovem menino negro que não se identifica como menino.

RUBY

Direção de Luciano Scherer / Guilherme Soster / Jorge Loureiro. RS / Brasil. 2015. 17 min. Documentário. 10 anos.

Pequeno retrato de um artista outsider chamado Ruby, que vive sozinho em uma casa perto da praia. 

KONÃGXEKA: O DILÚVIO MAXAKALI

Direção de Shawara Maxakali / Charles Bicalho. MG / Brasil. 2016. 13 min. Animação. 10 anos.

A índia Mãtãnãg segue o espírito de seu marido, morto picado por uma cobra, até a aldeia dos mortos. Juntos eles superam os obstáculos que separam o mundo terreno do mundo espiritual. Uma vez na terra dos espíritos, as coisas são diferentes: outros modos regem o sobrenatural. Mas Mãtãnãg não está morta e sua alma deve retornar ao convívio dos vivos. De volta à sua aldeia, reunida a seus parentes, novas vicissitudes durante um ritual proporcionarão a oportunidade para que mais uma vez vivos e mortos se reencontrem. Falado em língua Maxakali e legendado, Mãtãnãg se baseia em uma história tradicional do povo Maxakali. As ilustrações para o filme foram realizadas em oficina na Aldeia Verde, no município de Ladainha, em Minas Gerais.

XONDARO KA’AGUY REGUÁ (FOREST WARRIOR)

Direção de Gabe Maruyama / Bruno Silva. SP / Brasil. 2020. 4 min. Experimental. 12 anos.

“Xondaro Ka’aguy Reguá” mostra a história de um guerreiro dotado de poderes, protagonizada por Kunumi Mc. “Contos fazem parte da cultura Guarani, e neste conto que criamos, retratamos a nova geração de indígenas que usam a educação, a arte e a tecnologia para defender e proteger seus povos e as suas terras”.

  • Teresópolis: 26/5 às 19h30
  • Nova Friburgo: 27/5 às 15h; 27/5 às 19h

——————————————–

SESSÕES DE CINEMA PARA CRIANÇAS

ASTERIX E O SEGREDO DA POÇÃO MÁGICA

Direção de Louis Clichy / Alexandre Astier. França. 2018. 87 min. Animação. Dublado. Livre.

Panoramix sofre um acidente e percebe que é hora de assegurar o futuro da vila. Acompanhado por Asterix e Obelix começa a busca por um jovem para transmitir o segredo da poção mágica.

  • Teresópolis: 19/5 às 14h; 26/5 às 14h

———————————————–

MIÚDA E O GUARDA-CHUVA

Direção de Amadeu Alban. SP / Brasil. 2019. 70 min. Animação. Livre.

Miúda é uma menina míope e imaginativa, que cuida de sua planta carnívora de estimação com muito amor e formigas fresquinhas. Às vésperas de completar 7 anos, Miúda deseja apenas que a planta lhe chame pelo seu nome, mas a planta exige cada vez mais formigas. Estas, cansadas de serem comida de planta, bolam um plano que envolve poesia, guarda-chuvas e uma máquina do tempo. A menina atravessa uma jornada para compreender o mundo à sua volta e aprende que crescer é fazer escolhas.

  • Teresópolis: 5/5 às 14h; 12/5 às 14h
  • Nova Friburgo: 14/5 às 15h; 28/5 às 15h

Fonte: Sesc RJ /Gracie Croce