Teresópolis volta a ter gestão sobre a preparação da merenda escolar

Diretora da escola e merendeiras comemoram o novo modelo da merenda
Diretora da escola e merendeiras comemoram o novo modelo da merenda

Escolas municipais de Teresópolis voltam a ter gestão sobre a preparação da merenda escolar

Através do programa municipal Operação Trabalho (POT), cerca de 400 auxiliares de merenda, das próprias comunidades da escola, são contratadas pela Prefeitura

Teresópolis, 22 de outubro de 2021 – Sempre à procura de melhorar a qualidade da merenda servida nas escolas do município, a Prefeitura de Teresópolis volta a adotar o modelo de contratação de auxiliares de merenda. Desde o retorno da educação para a modalidade semipresencial em agosto, cada unidade escolar passou a ter gestão sobre a preparação dos alimentos em sua própria cozinha, que antes era gerenciada por empresa contratada, através de licitação. São cerca de 400 cozinheiras, moradoras do mesmo bairro da escola, contratadas e capacitadas via POT (Programa Operação Trabalho) para preparar a merenda.

Para a secretária de Educação, Satiele Santos, essa foi uma decisão acertada do Governo Municipal. “A gente costuma dizer que cozinhar é uma ato de amor e hoje podemos contar com essa prática dentro das escolas. A maioria dessas mulheres já conhece os alunos do próprio bairro, outras têm filhos na escola onde agora cozinham, então, trazer essas mulheres das comunidades para dentro das unidades escolares foi uma atitude acertada da gestão do Prefeito Vinícius Claussen.  Hoje temos uma comida feita com mais carinho e qualidade”, pontuou Satiele.

Segundo Luciene Quintão, diretora da Escola Municipal Sakurá, as instituições educacionais são espaços privilegiados para uma alimentação balanceada e saudável, uma vez que acompanham as diversas fases do desenvolvimento dos alunos. “Uma das vantagens na autonomia de gerir a cozinha é que através da economia que a Secretaria de Educação fez, conseguimos reformar o espaço, trazendo ainda mais qualidade ao preparo dos alimentos. Outra vantagem é, sem duvida, o vinculo que essas mulheres têm com os alunos por serem da própria localidade”.

Desempregada há dois anos, Andriele Monteiro conseguiu uma vaga de merendeira na Escola Sakurá. “Tenho 3 filhos nessa escola, conheço grande parte dos alunos que moram no Parque Ermitage e por isso, pra mim é um privilégio cozinhar para todos eles e estar de volta ao mercado de trabalho. Só agradeço”, disse a auxiliar de merenda.

Há 4 anos no Sakurá, a estudante do 9º ano, Maria Gabriela, diz que a comida está muito boa. “Se a merenda tá gostosa, a gente come mais e isso faz a gente estudar melhor. Conheço a maioria das tias da cozinha e elas também conhecem a gente não só da escola, mas do bairro também. Eu acho que através do afeto se cozinha melhor”, disse a menina.

Para o prefeito Vinicius Claussen, o novo modelo da merenda, com a volta da gestão das cozinhas para as escolas, só traz benefícios. “Nosso novo modelo de merenda tem sido muito comemorado pelas equipes escolares, alunos e responsáveis. As novas auxiliares de merenda, contratadas da própria comunidade onde está inserida a escola, vão criando vínculos com a comunidade escolar, o que é muito positivo. Hoje sabemos o quanto a merenda escolar é importante para as famílias, em especial aquelas em vulnerabilidade social e é nosso compromisso aprimorar cada vez mais a qualidade dos alimentos que servimos aos nossos alunos”, concluiu o prefeito.

Fotos: Bruno Nepomuceno

Fonte: Assessoria de Comunicação de Teresópolis

Desempregada há dois anos e com três filhos na Escola Sakurá, Andriele Monteiro conseguiu uma vaga de merendeira
Desempregada há dois anos e com três filhos na Escola Sakurá, Andriele Monteiro conseguiu uma vaga de merendeira